#SnaqReview: Nubank

Confira receita, lucro, número de clientes e outros indicadores da maior fintech da América Latina!


Conheça a história do Nubank


Fundado em Maio de 2013 por David Vélez, Cristina Junqueira e Edward Wible, o Nubank se consolidou como a principal fintech da América Latina, chegando ao IPO em dezembro de 2021.

Em 2014, a empresa lançou seu primeiro produto, um cartão de crédito com bandeira Mastercard, sem anuidade, completamente gerenciado pelo app e uma proposta de boa experiência de atendimento. No 3Q'16, o Nu alcançou a marca de 1 milhão de clientes. Em 2017, lançou o programa de pontos Rewards e a NuConta. Em 2018, alcançou o status de unicórnio. Em 2019, passou a oferecer empréstimo pessoal. Em 2020, desembarcou no México e na Colômbia, além de lançar o NuVida. Em 2021, adquiriu a Easynvest, renomeada para NuInvest.



Número de clientes

No segundo trimestre de 2022, o Nu atingiu a marca de 65,3 milhões de clientes, dos quais 52,3 milhões são clientes ativos mensais. O número mostra um crescimento de 9,6% QoQ e de 56,6% YoY. Do total, 63,3 milhões de clientes são pessoas físicas e 2 milhões são PMEs.


Receita

A Receita total no Q2’22 foi de US$ 1,16 bilhões, um crescimento de 32% QoQ e 244,4% YoY. Já a Receita Média Mensal Por Cliente Ativo (ARPAC), que é um dos principais indicadores para a rentabilidade, atingiu US$ 7,8, um crescimento de 16,4% QoQ. Só no primeiro semestre de 2022, a receita já foi 20% maior do que no ano de 2021 inteiro


Lucro

Apesar da receita e aumento no ARPAC, o que mostra a capacidade e potencial de rentabilização, o Nu ainda teve um Prejuízo Líquido não ajustado de US$ 30 milhões no trimestre. O que está em linha com a estratégia de priorizar o crescimento acelerado frente a geração de caixa.


Outros indicadores

O saldo da carteira de crédito atingiu US$ 9,2 bilhões, com o crédito pessoal representando 23% do total da carteira.

Os depósitos totais chegaram a US$ 13,3 bilhões, um crescimento de 5,6% QoQ e 77,3% YoY.

O volume de compras superou os US$ 20,0 bilhões, crescimento de 25,8% QoQ e 102% YoY.


Ação

Após a divulgação dos resultados do Q2'22, as ações do Nu passaram a subir fortemente na NYSE, com alta de 25%. Mesmo com a alta, desde o IPO, em 9 dezembro de 2021, as ações do Nu acumulam uma desvalorização de 43,4% até a data da presente apuração (Imagem abaixo).