top of page

#SnaqReview: NVIDIA

Confira receita, lucro e outros indicadores da fabricante de chips mais valiosa da atualidade!




🔎 Conheça a história da NVIDIA


Fundada em 1993, a NVIDIA tem sido pioneira na computação avançada. Desde a invenção do GPU em 1999, a companhia desencadeou o crescimento do mercado de jogos para PC, acelerou a computação gráfica e deu início à era da IA moderna.


Hoje, a NVIDIA é a empresas de semicondutores (chips) mais valiosa do mundo, responsável por processadores de ferramentas como ChatGPT. A companhia também está fomentando a criação do metaverso.



📊 Resultados Trimestrais da NVIDIA: Análise


➡️ Big numbers da NVIDIA, 2T'23
  • Receita Data Center: US$ 10,3 bilhões (+171% A/A)

  • Receita total: US$ 13,5 bilhões (+101% A/A)

  • Lucro líquido: US$ 6,7 bilhões (+422% A/A)


⚪ A NVIDIA se tornou referência especialmente no segmento gaming. Porém, nota-se que nos últimos trimestres houve uma mudança significativa em termos de composição de receita: o segmento Data Center superou Gaming, representando 80% da receita total da companhia.


Nota-se que o segmento de Data Center tem demanda pouco cíclica, o que traz resiliência para os resultados da empresa, impulsionado pelo ganho de market share no setor. Junto com #Intel e #AMD, a NVIDIA está entre as três principais provedoras de GPUs do mundo, segundo a Statista.


#ZoomOut: O forte desempenho em "Data Center" mostra que os chips estão cada vez mais importantes para provedores de nuvem e servidores. O motivo? Esse chips são fundamentais para treinar modelos de IA generativa mais avançados.



⚪ Uma das principais vantagens competitivas da NVIDIA é o CUDA. Lançado em 2007, o CUDA é uma plataforma de computação paralela e um modelo de programação para ser usado com GPUs desenvolvidos pela companhia. Em comparação aos concorrentes, isso facilita o uso para fins de processar dados e treinar modelos de IA generativa. É a mesma lógica do software da Apple para seus produtos e serviços.


As ações da NVIDIA (NASDAQ:NVDA) cresceram cerca de 500% nos últimos cinco anos, em função da forte demanda por chips a nível global. No dia 25 de maio de 2023, após a divulgação de resultados do 1T23, seu valor de mercado saltou para US$ 1 trilhão pela primeira vez!



Confira os destaques das ações da NVIDIA no 2T23:

  • Ações NVDA acumulam alta de 170% entre janeiro e maio de 2023 (apenas cinco meses!)

  • NVIDIA se torna a 6ª companhia mais valiosa do mundo (atrás de Apple, Microsoft, Saudi Aramco, Google e Amazon, respectivamente), deixando a Meta (Facebook) na 8ª posição do ranking;

  • Com um P/L em torno de 205x, especialistas dividem opiniões. Para alguns, as ações NVDA estão caras demais; enquanto há outros que apostam que elas podem dobrar de valor e que a NVIDIA pode chegar a US$ 1,5 trilhão de valor de mercado nos próximos meses.



➡️ Big numbers da NVIDIA, 3T'23
  • Receita Data Center: US$ 14,5 bilhões (+279% A/A)

  • Receita total: US$ 18,1 bilhões (+206% A/A)

  • Lucro líquido: US$ 10,1 bilhões (+588% A/A)


⚪ Em novembro, a NVIDIA apresentou os resultados referentes ao terceiro trimestre, com cifras recordes como reflexo da forte demanda por CPUs, CPUs (destaque para o NVIDIA HGX) e redes ligados a modelos de IA generativa e computação avançada. Entre as novidades apresentadas no período, estão o NVIDIA H200 (GPU para treinar modelos de IA avançados) e o Spectrum-X.


#ZoomOut: Esta plataforma foi projetada para acelerar o desempenho de modelos de IA e a eficiência energética em 1,7x (vs. Ethernet tradicional). Isso pode tornar a big tech indispensável para infraestruturas de data centers. Entre as empresas que estão integrando o Spectrum-X, estão #Dell, #HP e #Lenovo.


Apesar dos resultados acima das expectativas, as ações NVDA caíram 3% no after market. O motivo? Para especialistas, as restrições de exportações de chips dos Estados Unidos para a China podem gerar um potencial impacto negativo nas cifras da companhia.


⚪ Em paralelo, a #Microsoft anunciou que fabricará chips personalizados, denominados de Azure Maia 100 e Cobalt 100. Os dois primeiros chips de silício personalizados foram projetados pela alimentar seus data centers Azure e soluções de IA, feitas em parceria com a OpenAI. As novidades serão lançadas em 2024 e contam com a tecnologia da #Arm, investida da Microsoft que fez IPO em setembro. A iniciativa da Microsoft visa reduzir sua dependência da NVIDIA.



💰 Receita, lucro e outros indicadores da NVIDIA


A forte demanda por processadores de última geração, utilizados para treinar ferramentas de IA generativa, impulsionou as vendas da companhia em 2023. Essa demanda tem origem em gigantes da tecnologia, como a #Microsoft (investidora da #OpenAI, criadora do ChatGPT).

A receita consolidada (non-GAAP) totalizou US$ 18,1 bilhões no 3T23 (+206% A/A), ante um consenso de mercado de US$ 16,1 bilhões. Em relação ao guidance para o próximo trimestre, reportado pela NVIDIA, saltou para US$ 20 bilhões. Go deeper.


Em termos de resultado líquido, o lucro totalizou US$ 9,2 bilhões (+535% A/A), que também superou as expectativas de especialistas. O lucro por ação ficou em US$ 4,02 no 3T23 e a margem bruta saltou para 71%.


#ZoomOut: A queda de receita (e lucro) da NVIDIA no 2T22 é reflexo das sanções impostas à China e desaceleração da demanda, sobretudo nos gastos com jogos eletrônicos. Nessa ocasião, a receita do segmento Gaming da companhia caiu para US$ 2 bilhões (-44% T/T).

Em termos de fluxo de caixa livre (FCF), que mensura a capacidade de geração de recursos financeiros, descontados os investimentos necessários para manter e expandir o negócio, totalizou US$ 7,1 bilhões no 3T23.




📈 Ações da NVIDIA


As ações NVDA mais que dobrou desde o início do ano em função do avanço de ferramentas de IA generativa. Em janeiro de 2023, o papel era negociado a US$ 143. No início de dezembro, estava cotado em torno de US$ 460.




📃 Referências


Posts recentes

Ver tudo
news.png
Receba a principal curadoria do ecossistema de inovação

Newsletter semanal e carta de análise mensal, no seu e-mail, com tudo o que você precisa saber!

bottom of page