top of page

#SnaqReview: Inter

Confira receita, lucro, número de clientes e outros indicadores da holding Inter & Co, controladora do Banco Inter!



🔎 Conheça a história do Inter


O Inter (principal subsidiária do grupo Inter & Co) tem mais de 25 anos de história. Com sede em Belo Horizonte, Minas Gerais, a fintech se tornou o primeiro banco digital do país em 2015, com o lançamento de sua conta digital. Também foi o primeiro banco digital a realizar IPO na B3 e migrar a base acionária para a bolsa americana.


Hoje, o Inter oferece produtos e serviços financeiros tanto para pessoas físicas quanto jurídicas em seu "SuperApp" — que tem conta digital gratuita, plataforma de investimentos, seguros, crédito e muito mais.


Os números do Inter & Co no 3T'22 impressionam:

🟠 Número de clientes: 22,8 milhões (+63% YoY)

🟠 Clientes ativos: 11,6 milhões (+45,6% YoY)

🟠 Volume transacionado cartão (TPV): R$ 17,2 bilhões (+48,4% YoY)

🟠 Receita: R$ 4,1 bilhão (83,7% YoY)

🟠 Prejuízo: R$ 42,9 milhões



🟠 Evolução do número de clientes do Inter


O Inter atingiu a marca recorde de 22,8 milhões de clientes do terceiro trimestre, o que representa um crescimento de 63% YoY. Do total, 51% são clientes ativos!


🟠 Receita média por cliente ativo (ARPAC): caiu de R$ 31 para R$29 no 3T'22 (comparação anual). Em nota, o Inter atribuiu ao cenário macro, de juros em alta.


🟠 Custo de aquisição (CAC): caiu de R$ 28 contra R$ 3 no mesmo período do ano passado. Ou seja, seguiu com a sua base de clientes com o menor nível de CAC nos últimos cinco meses. Em nota, o bom resultado foi atribuído aos custos mais baixos com marketing digital no período.



💰 Receita e lucro do Inter


A receita bruta totalizou R$ 1,5 bilhões, alta de 84% YoY. O destaque positivo foram as receitas de juros, que dobraram frente ao terceiro trimestre de 2021. Desconsiderando juros e serviços, a receita líquida ficou em R$ 850 milhões.


João Vitor Menin, CEO da Inter & Co, disse que a qualidade das receitas continua melhorando de forma significativa, sendo altamente diversificada entre os produtos e com um crescimento mais forte nas receitas de serviços.



Em relação ao crescimento da carteira de crédito, houve uma ligeira desaceleração no trimestre anterior, quando o Inter adotou um tom mais cauteloso quanto à expansão do crédito. No 3T'22, o nível de inadimplência (>90 dias) permaneceu estável com tendência positiva na nossa qualidade de crédito.


Nas palavras do CEO: "pesar do empenho em ganhar participação de mercado nos produtos, nós estrategicamente decidimos desacelerar a originação de crédito no trimestre, monitorando a performance da carteira em um cenário de crescimento das NPLs (inadimplência)".


O Inter registrou prejuízo no 3T'22, em torno de R$ 30 milhões, contra R$ 34 milhões de lucro no mesmo período de 2021.



Outros indicadores do Inter


🟠 Expansão do TPV. O volume transacionado em compras feitas através dos cartões (crédito e débito) totalizou R$ 17 bilhões (contra R$ 12 bilhões no 3T'21), impulsionado pelo crescimento da vertical de cartões de crédito. Junto com o Pix, o TPV bateu recorde de US$ 155 bilhões no 3T'22!


🟠 ROE negativo. O retorno sobre o patrimônio líquido ficou em -1,7% contra 1,6% no mesmo período do ano passado. Em nota, o Inter atribuiu o resultado negativo ao cenário macro, que penaliza a rentabilidade da empresa. Outro fator a ser considerado é: seu foco no curto prazo é a expansão da base de clientes, em detrimento da rentabilidade.



Ações do Inter (INTR: NASDAQ)


A Inter & Co migrou para Nasdaq em junho de 2022, e suas ações passaram a ser negociadas com o ticker INTR. Para os investidores da companhia, as ações (BIDI11, BIDI3, BIDI4) foram convertidas nas BDRs com o ticker INTR31. Cabe destacar que foi a primeira empresa brasileira a migrar sua base acionária do Brasil para os Estados Unidos.



Referências

Google Finance.

RI Inter & Co.

news.png
Receba a principal curadoria do ecossistema de inovação

Newsletter semanal e carta de análise mensal, no seu e-mail, com tudo o que você precisa saber!

bottom of page