#SnaqReview: iFood

Confira receita, lucro, número de pedidos, entregadores e outros indicadores do app de delivery mais famoso do Brasil!




Conheça a história do iFood


Fundado em 2011 e com sede em Osasco (SP), o app de delivery mais famoso do Brasil começou como Disk Cook, que oferecia um guia de cardápios e central telefônica a fim de melhorar a experiência dos clientes na hora de fazer pedidos. No ano seguinte, a empresa se tornou referência do delivery com o lançamento do seu próprio app e site.


Durante as restrições impostas pela pandemia, ocasião na qual diversos estabelecimentos fecharam, o delivery despontou como alternativa para os consumidores, tanto para os que já eram adeptos ao serviço quanto para os que ainda não o utilizavam. Nesse contexto, o iFood foi uma das empresas que mais se fortaleceu no mercado nacional e segue em expansão devido a sua praticidade no cotidiano dos brasileiros.


Hoje, a foodtech mais famosa do país tem cerca 300 mil estabelecimentos parceiros, 4 mil funcionários e 200 mil entregadores ativos. O iFood também está presente na Colômbia e têm planos de expansão para outros países da América Latina.



Indicadores operacionais do iFood


A gigante do delivery mostrou forte crescimento do número de pedidos em 2020, em meio às restrições impostas pela pandemia, e continua batendo novos recordes. Em 2022, foram realizados cerca de 70 milhões pedidos por mês no iFood. Esses números abrange diversos restaurantes e mercados e está presente em milhares de municípios brasileiros.


A fintech MovilePay, que pertence ao grupo Movile (dono do iFood), tem por objetivo fortalecer o desenvolvimento dos restaurantes parceiros do iFood através da oferta de crédito para esses estabelecimentos.


⚔️ iFood vs. Concorrentes


Nos últimos anos, o iFood vem reinando como aplicativo preferido de delivery do brasileiro. Outras startups do segmento também vieram ganhando espaço em paralelo, como é o caso da Aiqfome, focada principalmente em cidades do interior, e o AppJusto, que chega ao Brasil com a proposta de ser oferecer um preço mais justo e autonomia aos entregadores.


Fato é que mesmo com os concorrentes se movimentando, o iFood ainda possui a maior rede de parceiros - fator importantíssimo de competitividade. A ampliação de parcerias está no alvo dos demais apps. A Goomer, por exemplo, após seu último aporte busca a expansão e já possui um total de 110.000 restaurantes cadastrados na rede, o que representa 1/3 do que o iFood possui.


Na semana passada, o Rappi acusou o rival de descumprir o acordo proposto pelo regulador antitruste de não firmar mais contratos de exclusividade com restaurantes. Segundo a Abrasel, o iFood detém 80% do mercado de delivery no Brasil. Entre os gigantes exclusivos da plataforma, estão McDonald's e Habib's. Go deeper.



❤️ iFood é a marca mais amada pelos brasileiros


A pesquisa anual realizada pela eCGlobal apresenta um panorama com as marcas mais amadas pelo brasileiro. O Net Love Score, métrica utilizada, é calculado levando em conta 3 categorias diferentes: intensidade, fidelidade e preferência. No ranking de 2022, o iFood lidera o ranking de marca mais amada do país. Go deeper.



💸 Prosus adquire controle total do iFood


Em agosto de 2022, a Just Eat fechou um acordo para vender sua participação de 33% do iFood para a Prosus por cerca de US$ 1,8 bilhão. A Prosus, controladora da Movile, está em negociações para aumentar sua participação desde 2020. Com a iniciativa, a gigante holandesa será proprietária integral da foodtech brasileira. Go deeper.