#SnaqReview: Nubank

Confira receita, lucro, número de clientes e outros indicadores da maior fintech da América Latina!



🔎 Conheça a história do Nubank


Fundado em 2013 por David Vélez, Cristina Junqueira e Edward Wible, o Nubank se consolidou como a principal fintech da América Latina. A fintech brasileira atingiu o status de unicórnio em 2018, e chegou ao IPO em dezembro de 2021.


Seu primeiro produto foi lançado em 2014: um cartão de crédito com bandeira Mastercard, sem anuidade, gerenciado pelo app e uma proposta de boa experiência de atendimento. Desde então, não parou de crescer e trazer novidades para milhões de clientes programa de pontos Rewards e a NuConta (2017), NuVida. (2020), NuInvest (2021), dentre outros.


Os números apresentados pelo Nubank no 3T'22 impressionam:

🟣 Quantidade de clientes: 70,4 milhões (+46% YoY)

🟣 Clientes ativos: 57,4 milhões (+63% YoY)

🟣 Receita: US$ 1,3 bilhão (+171% YoY)

🟣 Depósitos: US$ 14,0 bilhões (+73% YoY)

🟣 Carteira de crédito: US$ 9,7 bilhões (+83% YoY)



😎 Evolução da quantidade de clientes do Nubank


O Nu atingiu a marca de 70,4 milhões de clientes (Brasil, México e Colômbia) no 3T'22, com uma taxa de atividade mensal de 82% de taxa de atividade mensal. Do total, 68 milhões são PF (pessoas físicas) e 2 milhões são pessoas jurídicas (PJ). O número mostra um crescimento de 46% na comparação anual (YoY).


Confira a composição da base de clientes do Nubank:

🟣 66,9 milhões de clientes no Brasil;

🟣 57,4 milhões clientes ativos mensais — ou seja, 82% do total de clientes são ativos mensalmente!

🟣 68 milhões de clientes PF (pessoas físicas);

🟣 2,3 milhões de PME (pequenas e médias empresas, ou contas PJ).




💰 Receita e lucro do Nubank


A receita segue em trajetória de crescimento. No 3T'22, a receita trimestral totalizou US$ 1,3 bilhão, alta de 171% YoY! Em termos de receita média mensal por cliente ativo (ARPAC), que é um dos principais indicadores para a rentabilidade, atingiu US$ 7,9, o que representa um crescimento de 61% YoY. Em nota, o bom resultado foi atribuído à alta de taxa de atividade dos clientes e ao lançamento de novos produtos.


Com o aumento da receita e do ARPAC, o que mostra a capacidade e potencial de rentabilização, o Nu registrou um lucro líquido não ajustado de US$ 7,8 milhões no trimestre.



➡️ Carteira de crédito, inadimplência e outros indicadores do Nubank


🟣 Volume de compra: atingiu US$ 21,2 bilhões no 3T'22, um crescimento de 75% YoY. Com isso, o Nu se consolida como 4º maior player no mercado brasileiro de cartões de crédito em termos de volume de compra.


🟣 Saldo da carteira de crédito: atingiu US$ 9,7 bilhões, com o crédito pessoal representando 23% do total da carteira. O crescimento da carteira foi sustentado principalmente pelo cartão de crédito, que saltou para US$ 7,8 bilhões. Porém, a carteira de empréstimo pessoal teve uma leve queda, e ficou em torno de US$ 2 bilhões.


🟣 Taxa de inadimplência: a inadimplência de empréstimos (de 15 a 90 dias) do Nu aumentou 50 bps na comparação trimestral, atingindo 4,2%. Esse aumento preocupou analistas e, em nota, o Nu apontou a desaceleração da carteira de crédito pessoal e deterioração do cenário macroeconômico como os principais fatores.


🟣 Depósitos totais: atingiu US$ 14 bilhões, um crescimento de 73% YoY. O índice de empréstimos/depósitos ficou em 25% no fim do período.



📉 Ações do Nubank (NU:NYSE)

As ações NU:NYSE dispararam em NYSE, com alta de 15%, após a divulgação dos resultados do 3T'22. Mesmo com a alta, desde o IPO, em 9 dezembro de 2021, as ações do Nu acumulam uma desvalorização de 52,47%.