News #69: GIG Economy e o impacto do Nu

Nesta edição você verá como a Gig Economy ganhou as manchetes, além do Nubank que segue fazendo história. Veja também as últimas captações e M&As que movimentaram o universo da inovação. Boa semana e boa leitura!



📲 Quanto tempo você fica no celular?

O App Annie soltou na última semana um relatório com números interessantes sobre o mercado de smarthphones no mundo. O primeiro dado que chama atenção é que o Brasil é o país onde as pessoas passam mais tempo na frente de seus celulares, totalizando mais de 5 horas em frente a tela de seus dispositivos. A título de comparação, o tempo médio nos Estados Unidos fica na casa 4,2 horas e na China em 3,2 horas.

Quando falamos em downloads de apps, a China domina com folga com quase 100 bilhões de downloads em 2021, seguido pela Índia com quase 30 bilhões e EUA com pouco mais de 12 bilhões. Nessa lista o Brasil aparece na quarta colocação com mais de 10 milhões de downloads no ano passado. Aos interessados no assunto, vale a leitura do relatório completo!




🚚 Gig Economy

♦️ A 99 lançou essa semana seu serviço de mototáxi, o 99 Motos. Por hora, a novidade está disponível em apenas 9 cidades brasileiras, dentre elas Sorocaba/SP, Goiânia/GO e Recife/PE. A proposta é que a corrida seja 30% barata que outras categorias da companhia.

♦️ A Rappi está fortalecendo sua vertical de varejo, batizada de Rappi Turbo. O serviço promete entregas em até 10 minutos a partir de suas dark stores. Em março de 2021 passado eram 10 lojas, hoje a startup já conta com 125. Depois de abrir unidades nas principais capitais do Brasil, a companhia passa a entrar em outros grandes centros do interior, como Santos e São José dos Campos.

♦️ O Delivery Hero, app alemão de entregas, vendeu a maior parte de suas ações no Rappi por US$150 milhões. Segundo a empresa, o Rappi não era mais um investimento estratégico. Apesar da venda, a startup ainda continua com uma fatia de 7,9% do unicórnio colombiano.

♦️ A Uber começou a operar com seu serviço de transporte empresarial, o Uber Shuttle. A empresa adicionou ônibus e micro-ônibus para fazer deslocamentos voltados para o meio corporativo, o popular fretado.




🟣 IPO do Nubank leva 760 mil investidores pra bolsa

De novembro para dezembro a bolsa brasileira teve um salto de 22% em sua base. Este número foi alavancado graças ao IPO do Nubank que levou cerca de 750 mil novos investidores. A oferta feita no dia 08 do último mês fez com que 815 mil investidores comprassem seus BDRs, o que segundo a fintech foi o maior IPO já realizado no Brasil em número de compradores varejo.

E não para por aí, em apenas quatro meses, o roxinho criou um fundo de multimercado com a maior quantidade de cotistas do Brasil, o Nu Seleção Cautela. Até o dia 31 de dezembro o fundo totalizava cerca de 236,4 mil clientes. Com ações como essas, até então elitizadas entre a população brasileira, o Nubank vem simplificando e democratizando o setor financeiro do seu jeito, gostem ou não. Go deeper: Valor Investe | 1Bilhão




💰 Começando o ano com dinheiro em caixa

◼️ A55, fintech de financiamento baseado em receita, fechou uma rodada de US$17 milhões. O aporte foi liderado pela Movile, a dona do iFood. A startup pretende ampliar sua carteira de clientes, reforçando sua operação no Brasil. ◼️ TerraMagna, agrotech brasileira fundada em 2017, captou US$40 milhões em sua Rodada Série A. Com o novo recurso, a startup visa expandir sua solução de crédito e serviços financeiros para o agronegócio. ◼️ Brex, fintech americana criada por brasileiros, levantou US$300 milhões em sua extensão da Série D. Com o investimento, a startup passa a ser avaliada em US$12,3 bilhões. ◼️ Rei do Pitaco, sportstech brasileira, recebeu um aporte de US$32 milhões em sua Rodada Série A. O recurso chega com o objetivo de aprimorar a tecnologia e aumentar a base de usuários antes da Copa do Mundo deste ano. ◼️ Liqi, startup brasileira de tokenização de ativos, anunciou um aporte de R$27,5 milhões em sua Rodada Série A. Segundo a companhia, a companhia irá usar o dinheiro para estratégias de marketing e para a expansão do time. ◼️ Gavea Marketing, agtech que atua como bolsa digital para commodities, fechou uma captação de R$23 milhões. Os recursos serão usados para fortalecer a plataforma e buscar uma atuação internacional.




🤝 Juntos são mais fortes

🔹 O Itaú Unibanco está comprando 50,1% da corretora Ideal, umas das líderes em volume negociado na B3. A transação vai permitir que o Itaú avance na sua estratégia de distribuição de produtos de investimento para pessoas físicas. A compra ficou na casa dos R$651 milhões e daqui 5 anos o banco poderá exercer o direito de comprar os outros 49,9%. 🔹 A Take-Two Interactive, startup produtora de games, anunciou a compra da Zynga, produtora de videogames, por US$11,04 bilhões. O negócio é um dos maiores do setor e criará uma potência já que abrangerá consoles, computadores e dispositivos móveis. 🔹 O Travelex Bank, banco de câmbio britânico, comprou uma fatia minoritária da Frente Corretora, fintech especializada no segmento. Valores não foram divulgados, mas é esperado que a compra venha ajudar no posicionamento das companhias no setor frente a sanção do novo marco cambial. 🔹 A Dimensa, joint venture da Totvs com a B3, anunciou a aquisição de 100% da InovaMind, startup de inteligência artificial e big data. O acordo foi fechado por R$23,5 milhões e tem como objetivo ampliar a oferta de produtos e serviços para seus clientes. 🔹 A Via, dona das Casas Bahia e do Ponto, comprou a CNT, logtech cujo grande ativo é uma plataforma de tecnologia proprietária formada por um hub de integração com mais de 20 marketplaces. A aquisição é um passo ao conceito de ‘fulfillment’, já que passará a controlar ainda mais seu nível de serviço.




📸 Cripto sendo notícia

🔸 A 2TM, holding do Mercado Bitcoin, adquiriu a participação majoritária da Criptoloja, uma exchange de ativos digitais sediada em Lisboa que começou também a operar em Portugal. A ideia é começar a expansão na Europa com uma operação “OTC like” e, em um segundo momento, levar a plataforma completa do Mercado Bitcoin também para o varejo e investidores institucionais. 🔸 O Elon Musk twittou na última semana que a Tesla está aceitando pagamento de alguns dos seus produtos em dogecoin. Claro, que suas palavras teriam repercussão e após a publicação o preço do dogecoin subiu mais de 10% na manhã de sexta-feira. 🔸 O Norton Crypto está enfrentando críticas dos usuários por incluir um minerador de criptomoedas junto com o seu software de segurança, o Norton 360. Entretanto, no ano passado a companhia já havia anunciado a novidade publicamente como uma alternativa mais segura para quem tentar instalar programas de mineração. Segundo técnicos, ao baixar o Norton 360 de fato vem a extensão de cripto, mas isso não significa que iniciará automaticamente a mineração em qualquer computador. O assunto é polêmico e para você que se interessa, vale ler a matéria completa!




Veja também:

Banco do Brasil (BBAS3) vai investir R$ 200 milhões em startupsAmazon e BovControl se juntam para sequestrar carbonoQuatro ex-executivos deixam Zé-Delivery para fundar a Nana Delivery, concorrente do DakiVC investindo em incumbenteLayers Education levanta R$ 11,2 mi para ‘unificar’ tecnologias educacionaisStartup Compra Rápida levanta R$ 4 mi para destravar os ‘carrinhos’ do e-commerce