5G no Brasil: o que muda para a população?

Entenda os principais fatos envolvendo a tecnologia que promete mudar o rumo digital.

Na semana em que comemoramos o dia do telefone, não poderíamos deixar de dar atenção a tecnologia que revolucionou a sociedade. O que antes era "apenas" um meio de comunicação grande e fixo, se tornou o fiel companheiro da população em qualquer lugar dentro do bolso. Entretanto, mais importante do que ter smartphones super modernos, é ter uma internet que consiga acompanhar todas as opções que a tecnologia te permite. Assistir filmes, jogar online, trocar mensagens, fazer movimentações financeiras, acoplar dispositivos de segurança... As possibilidades são infinitas e para ajudar não só nessas experiências, o 5g chega no Brasil para facilitar muitos outros segmentos.


Para você se atualizar sobre a novidade separamos os principais fatos envolvendo a chegada do 5g no Brasil:


Quais as vantagens dessa nova tecnologia?

O 5G é a última geração de internet móvel que esta disponível para uso no mundo. A tecnologia tem como objetivo melhorar consideravelmente a velocidade de navegação, não só de smartphones e tablets, mas também na contribuição do desenvolvimento da chamada "internet das coisas".


Isso porque uma outra grande vantagem do 5g é a diminuição do tempo de comando e resposta, a chamada latência. Marcos Oliveira Jr, CEO da Fluke, startup de telecomunicação, explica que "uma latência menor possibilita a melhoria de aplicações em ações que precisam de respostas rápidas, com quase zero de delay, como por exemplo, soluções de telemedicina ou carros autônomos. Nestes casos, se você tem uma falha na conexão pode acontecer algo que acabe realmente prejudicando alguém".


Além dessas, a última das melhorias fica por conta da possibilidade de conectar muitos mais dispositivos em uma mesma rede, o que ajuda no custo e manutenção da infraestrutura. Sem contar que o uso simultâneo não será prejudicado por instabilidades, nem perda de velocidade.


Mas o que muda para o consumidor?

A primeira vista, quando falamos de telefonia móvel, a população não sentirá diferenças significativas, afinal já consegue assistir filmes sem interrupções e fazer downloads com velocidades aceitáveis no 4G. Entretanto, com aparelhos cada vez mais potentes passará a consumir conteúdos com qualidade superior em um tempo menor, assim como os jogos passarão a quase não ter latência.


Apesar dos benefícios não serem sentidos de imediato, eles acontecerão naturalmente, como ocorreu com o 3G e o 4G. A partir do momento que o 5g estiver implantado, pessoas e startups começam a pensar como utilizar toda essa capacidade adicional que vai estar disponível no mercado.


"Isso tem um tempo de amadurecimento que é natural e a população deve levar ainda uns dois, três anos depois que a rede estiver lançada para conseguir ter acesso aos dispositivos mais baratos. Isso faz parte da curva natural da difusão da inovação. Tem alguns que vão adotar inicialmente, depois os outros que estavam desconfiados adotam também e aí depois passa a se ganhar escala muito rápido" completa Kleber Lima, executivo com mais de 20 anos no mercado de telecomunicação.


Já quando falamos de IoT...

Este é o segmento que espera ansiosamente pelo 5G, afinal seus benefícios serão vários. A Internet das Coisas é o modo como objetos físicos estão conectados e se comunicando entre si e com o usuários. Isso acontece através de sensores inteligentes e softwares que transmitem dados por uma rede. E se essa rede for o 5G, ela possibilita ainda mais aperfeiçoamentos.


A logística deve se beneficiar muito com conexão mais rápida, afinal ficará muito fácil acompanhar em tempo real rotas e pacotes. O agronegócio é outro setor que também espera ansioso pela implantação do 5G. Cada vez mais tecnológico, o campo sofre com a falta de estabilidade de internet e a partir do momento que tiver rede de extrema qualidade, a produtividade tende a aumentar ainda mais.


Como já citamos a medicina também será uma área afetada positivamente. Com a latência praticamente igual ao tempo de resposta humano, a telemedicina tende a se aprimorar e fixar ainda mais no mercado. E claro, não podemos deixar de citar as casas e cidades inteligentes. Com o 5G será possível conectar ainda mais dispositivos smart nos lares brasileiros, assim como as cidades poderão ser melhores programadas para diminuir consumo e custo. Postes de luz, semáforos, estacionamentos, mobilidade urbana.... os benefícios, com certeza são muitos!


E para o 5g ser implantado é necessário um Leilão

No último dia 25 de fevereiro, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou o edital que define as regras do leilão do 5g. Segundo a proposta, o 5g deve ser implantado até o dia 31 de julho de 2022 nas capitais e no Distrito Federal pelas empresas vencedoras.

Este será o maior leilão de radiofrequência da história do país e não terá caráter arrecadatório. Sendo assim, sairá com um preço fixo por faixa de frequência e caso haja algum ágil, o mesmo será transformado em investimento de rede. Kleber ainda acrescenta " esse modelo de leilão acaba acelerando ainda mais a implantação do 5g caso haja disputa por frequências, isso porque ao pagar mais que o preço estipulado, o recurso acaba virando investimento, tecnologia e benefício".


Entretanto, o leilão não deve trazer grandes emoções, já que estão disponíveis quantidades de faixas de frequência suficientes para os poucos grandes players do mercado atual.


Ainda há espaço para inovação

Apesar do setor de telecomunicação ter a barreira da infraestrutura para a entrada de novos players no mercado devido a necessidade da posse de radiofrequencias, há ainda muito espaço para melhorar. Com a consolidação das atuais quatro grandes empresas, a troca-troca de operadoras por parte dos clientes é gigantesca, por isso, cada vez mais vemos pacotes de benefícios melhores frente a um valor menor.


Uma das tendências desse mercado é criação de holdings por parte dos grandes players para alugar telefrequências para outras empresas ingressarem no mercado. Com um olhar voltado para o consumidor, as novas startups, como a Fluke, ainda dependem das grandes companhias, mas prometem entregar uma melhor qualidade de serviço ao cliente que segue na busca pela operadora dos sonhos.