21 - dez

[resumo semanal] Apple x Facebook, App mais baixado e preço do bitcoin

Agora é oficial: esta é a última newsletter do ano. Semanalmente passamos por grandes histórias, momentos marcantes e decisões polêmicas. Falamos aqui de MUITOS bilhões de reais, dólares e euros. Vimos o crescimento e amadurecimento de startups, assim como a consolidação de grandes empresas. Foi um ano e tanto e sua companhia aqui foi imprescindível. Nós vamos ter mini-férias, afinal também precisamos de um descanso e nos encontramos logo em janeiro pra mais informação, análise e diálogo. Antes, vamos as últimas notícias dessa semana:

SHARE
Marco legal das startups

Regulando a categoria

A Câmara dos Deputados acaba de aprovar o texto-base do Marco Legal das startups. Com 361 votos a favor e 66 contrários, a iniciativa visa regularizar e incentivar o empreendedorismo. O projeto de lei define startups como “organizações empresariais, nascentes ou em operação recente, cuja atuação caracteriza-se pela inovação aplicada a modelo de negócios ou produtos ou serviços ofertados”. As mesmas devem ter ainda receita bruta de até R$ 16 milhões no ano anterior e até 10 anos de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica.

Ficaram de fora pontos importantes como: inclusão das startups S.A.S. simplificadas no Simples Nacional e equiparação fiscal de investimentos-anjos a outras modalidades que não incidem impostos sobre ganho de capital. Mas vale dizer que o texto ainda pode mudar já que terá que ser aprovado pelo Senado e depois pro presidente Jair Bolsonaro. Apesar de ter pontos a serem melhores explorados, este é um primeiro passo muito importante para a categoria.

Go deeper: Exame | Globo

Google down

Você percebeu?

Durante a manhã da última segunda-feira diversos serviços do Google, como YouTube, Docs, Drive e Maps, ficaram fora do ar. Nas últimas três semanas o Google vem corrigindo vulnerabilidades potencialmente perigosas no navegador do Chrome. A falha refletiu ligeiramente nas ações da Alphabet, mas também mostrou o quanto a bigtech tem poder atualmente sobre a produtividade, entretenimento e utilidades de casa da população mundial e quanto isso pode ser prejudicial estando em um único provedor.

Embora em uma escala bem menor, a Microsoft também sofreu com alguns problemas. Alguns usuários não conseguiram acessar os serviços Office e outros reportaram problemas diretamente com o serviço de e-mails. No mesmo dia os problemas foram solucionados, mas o acontecimento foi considerado como crítico devido a quantidade de pessoas afetadas em todo o mundo considerando o volume de dados que ambas as empresas detêm.

Go deeper: TechCrunch | TechCrunch

Apple x Facebook

Apple X Facebook

As mudanças do termo de privacidade da Apple continuam dando o que falar. O Facebook criticou publicamente em uma página inteira do jornal The New York Times as alterações e alega que as mudanças tornarão mais difícil o direcionamento de anúncios aos usuários. A rede social afirma que a ação pode ser devastadora para as pequenas empresas que dependem dos anúncios para gerar vendas.

A Apple não respondeu ao ataque diretamente, mas vem acusando o Facebook de "desrespeitar a privacidade do usuário" e está inflexível em sua nova política que começará a ser aplicada no início de 2021. A Apple anunciou que está "comprometida em garantir que os usuários possam escolher se permitem ou não que um aplicativo os rastreie".

Why its matter:

A rivalidade entre as duas bigtechs não é de hoje, mas intriga ao analisar a relação de co-dependencia que existe entre ambas. O iPhone seria muito menos atraente para muitos clientes se não houvesse Facebook, Instagram e Whatsapp, por outro lado, como seria possível encontrar os apps se não houvessem as lojas de aplicativos tão bem estruturadas? O racional seria que as empresas tivessem uma relação de trabalho forte e saudável, mas filosoficamente elas são diferentes e aí que mora o problema.

Go deeper: The Verge | BBC

Alta do bitcoin

Valendo como nunca

Pela primeira vez na história o bitcoin subiu 12%, chegando a valer US$23.000. Um dia antes a moeda já havia batido seu recorde ao valer US$ 20.000. A casa de câmbio digital Coinbase, referência na compra e venda da moeda, tem tomado medidas importantes para acompanhar a elevação considerável do preço do bitcoin. Na última-quinta, a empresa apresentou confidencialmente um projeto de declaração de registro no Formulário S-1 com a Securities and Exchange Commission. Além disso, o bitcoin tem atraído atenção de investidores de peso como Paul Tudor Jones e Stanley Druckenmiller, assim como grandes empresas financeiras como PayPal e Fidelity.

Go deeper: CNBC | Axios

Tiktok app mais baixado

O ano dele!

Segundo a pesquisa de marketing feita pela App Annie, o TikTok foi o aplicativo mais baixado em todo o mundo superando inclusive o Facebook. A rede social chinesa também foi o segundo ambiente em que os usuários mais deixaram dinheiro, seja via produtos, serviços ou quaisquer outros gastos em operações internas da plataforma. A título de curiosidade, o Tinder ficou com essa primeira posição.

O relatório ainda mostrou que o tempo em que as pessoas passam em aplicativos também cresceu. Em apps de negócio o aumento foi de 200%, em programas de streaming de vídeo 40%, enquanto apps de compras aumentaram 25%.

Go deeper: PromoView

Caso tenha perdido:

Affirm adia seu IPO. Go deeper

Locaweb compra plataforma de logística por R$83 milhões. Go deeper

Dona da Centauro compra rede de canais digitais NWB. Go deeper